Arquivo mensal: junho 2010

Um susto

(Texto por Renata Monteiro)

Na última sexta-feira, após um dia corriqueiro que para me distrair me dediquei as compras, afinal não existe melho0r terapia ocupacional do que está. Depois de ter feito dividas para daqui um bom tempo, quando cheguei em casa meu celular tocou, até ai nada de anormal, até porque a ligação era do meu amigo, ao atender o cumprimentei contente afim de falar da minhas últimas aquisições em minha tarde de compras, mas toda minha alegria se esvaiu quando ouvi meu amigo chorar do outro lado da linha, mal conseguindo falar, engasgado com a própria agonia, e de tudo o que ele tentara falar, a única coisa que consegui entender foi que ele havia sofrido um acidente de carro, havia batido o carro da mãe dele contra um caminhão.

Essas poucas palavras entendíveis, foram capazes de me colocar em pânico, o desespero assim como a ele começou a me consumir, naquele momento meu único objetivo era saber se meu amigo estava bem, intacto como a última memória que tinha de sua presença. Porém naquele momento eu não tinha o que fazer, não tinha para onde correr, mas por sorte minha irmã teve a intuição de ligar para a casa dos avós dele para saber as notícias corretas do que havia acontecido e ao saber que apesar de ele estar fisicamente bem, ele estava em choque com o acontecido, e sem hesitar minha irmã partiu para o encontro dele.

Mesmo com a angustia tomando conta do meu corpo, eu fiquei em casa esperando ansiosamente por notícias, e menos do que eu esperava minha irmã retornou uma ligação falando que meu amigo estava bem e mais calmo, e que nada de grave aconteceu, fora apenas um grande susto. Momentaneamente houve a sensação de alivio, porém ainda sentia aquela pontinha de angústia no peito, que só iria passar quando eu conseguisse vê-lo.

No dia seguinte quando encontrei com meu amigo, não me contive e minha primeira reação foi correr para abraçá-lo, aquele momento me deu a certeza de que realmente estava tudo bem, mesmo já tendo ouvido algumas vezes antes, a certeza de tê-lo em meus braços intacto, fez se apagar aquele pontinha de medo substituindo por uma alegria que me tomou por inteira.

Todo esse caso narrado é apenas para descrever o que é amizade, afinal existem milhares de textos e significados espalhados por ai, mas o que seria amizade realmente? As palavras me fogem na hora de descrever. Amizade é um amor intenso que nutrimos por alguém que nos retribui com sorrisos, abraços, brincadeiras despretensiosas e até mesmo as brigas sem motivo, acho que pra mim essa é a melhor definição.

Naquele momento de angustia..não conseguia parar de pensar em meu amigo…o que faria se tivesse acontecido algo com ele..

Amizade é estar junto em todo momento, é quase um casamento, pois é estar junto na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na seriedade da vida e na brincadeira descontraída, no cinema ou no filme em casa quando a grana ta apertada, nas viagens e aventuras, amizade é briga, é amor, colo, refugio, é aquele apelido carinhoso que no meu caso o que coloquei no meu é ‘Friend’, eu agradeço a Deus a todo o momento por ter me dado um amigo como você Friend.

Essa é minha pequena homenagem a meu ‘Friend’ Diego Filgueiras, que quase me matou do coração na sexta passada e que não me deixou dormir preocupada com ele…

Te amo muito Friend, e juízo para não me causar uma morte prematura.

(Texto por Renata Monteiro)

(Assim como a Renata, se alguém quiser escrever um texto em homenagem para alguém especial, aqui no ‘Comédia da vida alheia’ abrimos o espaço para você manifestar o que você quiser,)


Você arriscaria?

(texto por Danyelle Fioravanti)

Férias… hora de retomar esse blog e colocar as idéias que fervem meus neurônios pra fora.

Hoje escolhi falar de algo que tomou minha cabeça durante todo o fim de semana e tenho certeza que em algum momento já atormentou, atormenta ou vai atormentar a cabeça de vocês:

“Look, if you had, one shot, one opportunity in one moment to seize everything you ever wanted, Would you capture it, or just let it slip?”

Essa frase do Eminem fala exatamente sobre o que quero falar aqui. Diante de uma chance você arriscaria ou deixaria escapar?

Quantas vezes na vida você teve que fazer escolhas?

Se eu fosse responder essa pergunta, diria: o tempo todo.

A todo momento estamos fazendo escolhas, mas existem aquelas que mudam uma vida.

E se às vezes temos dificuldade em escolher entre o sorvete de creme com calda de chocolate, ou sorvete de morango com calda de caramelo, imagina escolher mudar de emprego ou não, terminar um namoro ou não, investir toda sua grana ou fazer uma viagem, fazer física ou marketing… cara, são escolhas que mudam o rumo da sua vida.

A gente tá ali diante de uma grande decisão dessas sem saber o que fazer, que critérios usar para escolher. Se a gente pesa o lado bom, todas tem um lado bom, se a gente pesa o lado ruim, todas tem um lado ruim… afinal o que nos move a tomar decisões? Por que arriscamos ou deixamos escapar?

Que fazer escolhas é algo difícil pra cara*** todo mundo já sabe, mas o que vem me intrigando é o que nos move. Será que no fundo não sabemos exatamente o que queremos e apenas buscamos justificar para caso dê errado a culpa não nos pese tanto?

Às vezes tenho a impressão que de sei que quero o sorvete de chocolate, mas o medo de naquele dia o de morango estar mais gostoso me leva a dúvida.

Queremos algo, pelo qual não estamos dispostos a abrir mão das outras alternativas e isso nos leva as dúvidas. Talvez se aceitássemos correr mais os riscos e decidir por aquilo que lá no fundo sabemos que queremos, as escolhas seriam mais fáceis.

E por mais que lá na frente quebremos a cara, o que nos impede de reescrever nossa história? Sempre achamos que é tarde demais para rever escolhas, mas por quê? Se o que vale é ser feliz não importa o quanto erramos, mas sim o quanto arriscamos pela nossa felicidade. Quem disse que um erro te fará menos feliz?

Quais escolhas te trouxeram até aqui? Está feliz? Se não está, para que ter medo de rever, de arriscar… Não podemos voltar atrás, mas podemos enxergar novos caminhos.

Criatividade é necessário até na maneira que pensamos nossas vidas e em como chegaremos onde tanto desejamos.

Deixo uma pergunta, que não tenho a resposta e acredito que ninguém tenha, mas vale a reflexão: Vale mais a pena tentar sempre acertar ou arriscar?

Você arriscaria?

(Texto cedido por uma pessoa mais que especial, presente nos melhores e piores momentos, capaz de dar ajuda com um simples sorriso. Se você gostou desse texto da uma conferida no blog ‘Desastres de Sofia’ com ótimos textos escritos por Danyelle Fioravanti)

10 Dicas para ter um Relacionamento Saudável!!!

Muitas pessoas ultimamente têm procurado técnicas e fórmulas milagrosas que as ensine a salvar o seu relacionamento, a primeira coisa a saber é que está fórmula não existe. Contudo, tão importante quando saber o que fazer de certo em um relacionamento para mantê-lo saudável e duradouro, é saber o que não fazer para estragá-lo. Se você puder prestar atenção aos seus atos cotidianos, identificar e evitar as atitudes abaixo, certamente estará contribuindo de forma positiva para o futuro da relação.

1. Evite guardar a sua opinião com relação às atitudes de seu parceiro(a) que lhe incomodam, pois o que inicialmente parece pequeno um dia poderá ser o estopim de uma grande guerra. Por exemplo, se você se incomoda com a toalha molhada sobre a cama, converse com ele(a) a primeira vez que isso acontecer e exponha claramente porque isso lhe incomoda. Caso você for empurrando com a barriga , pode ser que um dia a gota d´agua para a separação seja justamente a tolha molhada que insiste em repousar sobre a cama.

2. Evite guardar mágoas e ressentimentos do seu parceiro ou parceira quando ele (ou ela) lhe falar algo que você considere ofensivo. Procure livrar-se desse sentimento antes que ele seja capaz de transformar o amor em ódio, afinal como dito em um dos posts anteriores, quando gostamos realmente de uma pessoa somos capazes de esquecer os erros e pensar no futuro do relacionamento. Há duas técnicas que lhe permitem evitar o acúmulo de raiva. A primeira: respire fundo e simplesmente deixe o sentimento ir embora – aceite seu parceiro(a) como ele(a) é, incluindo as falhas, pois ninguém é perfeito (nem você), e todos estamos sujeitos ao erro. A segunda: fale com seu parceiro(a) sobre isso e procurem uma solução que agrade ambos (e não só você). Tente falar sem confrontar e sim de um jeito que expresse como você se sente sem ser acusatório. De repente você pode descobrir que a intenção não era lhe ofender.

3. Por mais difícil que possa parecer, procure controlar o seu ciúme e o excesso de desconfiança. O ciúme é um veneno letal para a maioria das relações. Um pequeno ciúme leve e ponderado chega ser sadio para a relação, pois demonstra uma certa preocupação pelo bem estar da pessoa, mas quando chega a necessidade de controlar o seu parceiro (a), ele se transforma em brigas que deixam ambos infelizes. Se você tem problemas com ciúmes, e chega ao ponto de parar a sua vida para perseguir o outro, é importante que você reconheça que a raiz desse problema é a sua insegurança, que pode estar ligada a sua infância, ou a algum relacionamento anterior em que você se feriu. Portanto, é necessário que você procure o auxilio de um profissional para compartilhar as suas inseguranças e frustrações e não mais dar vazão a elas em seu relacionamento, já que as pessoas são diferentes, não é porque já sofreu uma frustração em um relacionamento anterior que o mesmo caso possa se repetir em seu relacionamento atual, antes de tudo tenha segurança em si mesmo.

4. Evite idealizar e colocar excessivas expectativas no ser amado. Freqüentemente no início da relação nós esperamos que nossos parceiros nos coloquem em primeiro lugar em tudo, que nos surpreendam, nos suportem, que sejam sempre sorridentes e etc. Sem perceber, nós criamos expectativas muito altas e não nos damos conta que o nosso parceiro não é perfeito, como ninguém é, e aceitar o fato de que nós não somos o centro do mundo, então desce do banquinho que o tombo é alto kkk. Não podemos esperar que eles (ou elas) sejam carinhosos e amorosos a cada minuto de cada dia, pois todos têm períodos difíceis na vida. Não podemos esperar que eles sempre pensem na gente, já que eles obviamente vão também pensar neles ou em outros alguma hora. Não podemos esperar que eles sejam exatamente como nós somos, já que cada um é cada um. Expectativas muito altas levam a desapontamento e frustração, especialmente se não comunicamos ao outro essa expectativa. Como podemos esperar que nosso parceiro atinja essas expectativas se eles nem sabem sobre elas? O remédio é baixar nossa ansiedade, deixar nossos parceiros serem eles mesmos, e aceitá-los e amá-los por isso.

5. Evite criar um abismo entre o casal. Esse não é um problema só de quem tem filhos, mas também de outros casais que trabalham excessivamente, viajam constantemente e não abrem de suas atividades de prazer. Infelizmente, casais que não passam algum tempo sozinhos acabam criando um distanciamento entre si natural. Embora passar tempo junto quando você está com filhos, amigos ou família seja bom, é super importante também passar algum tempo juntos e sozinhos. Se está difícil achar esse tempo, sugiro que reservem horário um para o outro no decorrer do dia e levem a sério o combinado, simples e prático assim, basta um pouco de organização, pois se você não desmarca o dentista ou a aula de ginástica, porque desmarcar o horário com a pessoa que você ama? E quando vocês estiverem juntos, façam um esforço para se conectarem, se divertirem e se curtirem, exatamente como vocês faziam no início do relacionamento e não apenas estejam juntos por obrigação, esqueça os problemas, e dedique o tempo aos carinhos, abraços e risadas, pois um casal que consegue se divertir junto consegue superar qualquer distanciamento.

6. Evitar o diálogo. Esse pecado agrava todos os itens da lista, pois a boa comunicação é fundamental para um bom relacionamento. Se você tem ressentimento, você deve conversar sobre isso em vez de deixar o ressentimento crescer, não deixe para depois, se possível resolva tudo o mais rápido possível, o esclarecimento dos fatos e problemas é a melhor maneira de manter seu relacionamento saudável. Se você é ciumento, você deve abrir o jogo, ser honesto e expor sua insegurança, já que é só você que terá que lidar com este problema e sim o casal. Se você tem expectativas, deve dizê-las ao seu parceiro, a bola de cristal ainda é ficção e ninguém tem como adivinhar o que você está desejando sem que você verbalize e deixe bem claro o que espera. Se existem problemas, vocês devem reconhecê-los e trabalhar para solucioná-los, pois os assuntos inacabados e mal resolvidos podem causar problemas futuros em seu relacionamento. Comunicação não quer dizer apenas falar, discutir a relação ou brigar. Comunicação quer dizer revelar os seus sentimentos (frustração, desculpa, medo, tristeza, alegria) sem medo de demonstrar fraqueza. Para o diálogo entre o casal ficar mais interessante, comunique também o quanto você é feliz ao lado dele (ou dela), o quanto ainda o (a) ama e o quanto vocês são felizes.

7. A falta de reconhecimento também é um grande exterminador de relacionados e geralmente, ele vem aliado à falta de diálogo. A frieza de sentimentos pode ser compreendida como uma falta de gratidão e apreciação de tudo o que o seu parceiro (ou parceira) faz para você. Toda pessoa (até você) quer ser reconhecida e elogiada pelo que faz, pois qualquer forma de sacrifício ou esforço é valido, e não digo para ser oi reconhecimento através de presentes ou elogios, e sim o reconhecimento através do respeito e gratidão pelo que a pessoa faz por você. Ele lava os pratos ou cozinha algo que você gosta? Ela lhe ajuda, dá suporte ou compreende o seu trabalho? Ao invés de reclamar que a cozinha está uma bagunça, ou que é obrigação dela compreender a sua profissão, tire um tempo para dizer obrigado, dar um beijo e um abraço. Essa pequena atitude poderá fazer com que a pessoa se sinta realmente amada por você e importante na sua vida.

8. Falta de afeto e de troca de carinho. Nesse item, não estamos falando somente de sexo, mas também dele. Estudos comprovam que para a mulher receber atenção do marido e ser acariciada por ele funcionam como preliminares para a relação sexual. Afeto é importante, faz bem e todo mundo precisa de um pouco dele, especialmente vindo de quem amamos. Tire um tempo, todo santo dia, para dar atenção ao seu parceiro; dê um beijo quando ele ou ela chegar em casa do trabalho, diga-lhe Bom Dia e Boa Noite, chegue por trás e dê um beijo no pescoço, massageie suas costas enquanto ele vê TV e o que mais a criatividade de vocês permitir.

9. Teimosia. Todo relacionamento terá problemas e discussões – mas é importante que você aprenda a resolvê-los depois de baixar a guarda um pouco. Infelizmente, muitos de nós são tão teimosos a ponto de não reconhecer a sua própria teimosia. Evite querer estar sempre certo (ou certa) e colocar todos os erros sobre o seu parceiro. Para evitar que a sua teimosia destrua o seu namoro ou casamento, procure flexibilizar a sua opinião e desenvolva o hábito de pedir desculpas quando você está errado (a) e realmente a culpa é sua. Lembre-se que o orgulho não leva a nada e conforme já disse, não há porque temer parecer ser fraco diante da pessoa que te ama. Certamente, ela irá lhe ajudar a corrigir o seu erro ao invés de te rejeitar ou criticar por isso.

10. A rotina e o comodismo. Deixei para o final os maiores assassinos de relacionamento. Depois de muito tempo juntos, o homem pensa que não é mais necessário mandar flores inesperadas para a esposa, convidá-la para jantar em uma noite qualquer e ela também pensa que já não são mais necessárias lingeries novas, beijos de bom dia, conversas durante o jantar… Enfim, ambos pensam que não é mais necessário agir de forma conquistadora e de repente lá estão dois acomodados deixando a relação ser conduzida pelo piloto automático das obrigações cotidianas. Fique atento, pois um relacionamento é um eterno flertar, é uma conquista diária da mesma pessoa, afinal como diz o ditado ‘…é mais difícil conquistar a mesma mulher todos os dias do que conquistar uma diferente a cada dia…’

Espero que tenham gostado, e quem tiver alguma sugestão de tema para abordarmos aqui no blog, pode mandar. Estou também procurando colaboradores para manter o blog, quem estiver afim se manifeste.

Um longa vida esquecida pelo tempo…

Ontem, assistindo a seriado na TV, deparei-me com uma grande tristeza. As cenas que vi me fizeram  pensar. Pensava tanto que acabei até me esquecendo do que estava assistindo, e fiquei pensando naquilo que havia surgido, os devaneios e hipóteses que nossa mente cria.

A cena se tratava de um velinho, já com os cabelos brancos, olhos inocentes de crianças e aquele sorriso adorável, porém enigmático recebendo a visita de seu neto e uma acompanhante. Ele se emociona tanto com a chegada dos dois que acaba desmanchando aquele sorriso dando espaço para uma bela gargalhada de criança. Durante esta visita, o velinho conta para os jovens algumas lembranças da simples vida que ele teve em sua juventude, mas ao final da noite descobrimos que aquele humilde senhor sofre de Alzheimer, e tudo que ele contará para seu neto não passava de histórias perdidas em sua memória que ao se deitar se apagam e mudam de figura.

Pense em como a vida pode ser bela, mas pense também como ela pode ser esquecida numa pequena fração de segundos. Imagine todas aquelas conquistas que você batalhou por toda a sua vida sendo esquecidas. Lembre-se que poderia ser pior, você poderia esquecer aquele que já amou, poderia olhar para o seu rosto e não lembrar que vocês dividiram uma longa caminhada, um ao lado do outro, nos momentos de conquistas e nos momentos de perdas. Poderia ser ainda pior, poderia olhar aqueles que descenderam e não os reconhecer. O estágio que considero como o pior de todos é a perda de identidade, aquele em que se olha no espelho e não reconhece a pessoa que está do outro lado. Não saber como tudo aconteceu para que se chegasse até ali.

Depois de tudo penso: devemos aproveitar as oportunidades logo que elas surgirem e vivê-las intensamente. Devemos também dividi-la com todos aqueles que amamos, pois se no futuro esquecermo-nos de alguns fatos de nossa vida, sempre haverá alguém para nos lembrar. Essa pessoa não sentirá pena da doença e nem da pessoa que a carrega, ela sentirá uma alegria enorme em recontar tudo Àquilo de que se lembra. Pois a cada momento que a história é recontada surgem novas caras, novos olhares como uma criança que entra no mundo da fantasia e se perde nas palavras que são contadas pouco a pouco.

“Cinco Sinais Surpreendentes (ou nem tanto) de Infidelidade em Potencial”

Encontrei isso no Blog Homens Modernos e resolvi trazer pra cá:

E estes sinais servem tanto para homens quanto para mulheres. Anotem, portanto:

1. Pagas as contas sempre atrasado? Periga ser um “traidor” no mínimo em potencial, sabias? Por quê? Porque mostra que uma pessoa que é “descuidada” com as suas responsabilidades tem grandes chances de ser assim também nos seus relacionamentos. E quer “descuido” maior do que trair?

2. És do tipo caridoso ao quadrado? Pois é, até tu… ou seria principalmente tu? É, porque um estudo atestou que onde a fina linha do que é certo e errado é meio enevoada (o que é o caso da infidelidade), as pessoas que se tornam as piores traidoras são justamente aquelas que acham que têm os mais altos estandartes de moral. Por quê? Porque pra elas tudo o que fazem é com a melhor das intenções, ou seja, nunca é errado. É, porque vocês sabem que trair é errado, não sabem?Just checking… Just checking…

3. Tens conta bancária elevada? Candidato a traidor és. E não é porque tem mais capital para bancar as escapadas, mas porque quem não é privilegiado nesta área, pesa muito mais as consequências de arruinar um relacionamento que tem do que os mais abastados.

4. És o rei do grito e da grosseria? Ha-ha.  Isto porque quem tem algum tipo de comportamento que é ou tende para o abusivo, são mais propícios a trair também.

5. Narcisista? Esse é meio que óbvio, né? Bom, este tipo de pessoa simplesmente está tão absorvida em si que não pensa no efeito de uma traição nos outros. Se vai fazê-la felizinha da silva just for a moment… que seja, oras. Portanto…

Fonte: Yahoo Men’s Health.

%d blogueiros gostam disto: