Arquivos do Blog

Rock Beer

O Carnaval passou, e assim como eu tenho certeza que várias pessoas buscaram refúgios do axé, e do samba enredo que martela na cabeça, e quis ouvir algo mais casual acompanhado de uma boa cervejinha.

E hoje eu descobri que a relação entre música e cerveja é mais forte do que imaginava, porque existem várias cervejas relacionadas/inspiradas em bandas como Sepultura, Pearl Jam, Kiss, Velhas Virgens e por aí a fora.

Fiquei até confuso se seria um post sobre cerveja ou sobre música.

 

 

The Toasters

The Toasters 30th Anniversary (Ska Brewing – USA)
American Black Ale

Sepultura

Sepulweiss (Bamberg – Brasil)
German Weiss

Pearl Jam

Pearl Jam Twenty (Dogfish Head – EUA)
Golden Ale

Kiss

Destroyer Beer (Suécia)
German Pilsener

Nenhum de nós

Camila, Camila (Bamberg – Brasil)
Bohemian Pilsener

Velhas Virgens

Cerveja Velhas Virgens (Cervejaria Invicta – Brasil)
Red Ale, Dark Ale e Pilsen

Iron Maiden

The Number of the Beast (Haviestoun – Escócia)
English Strong Ale
 
Maiden the Shade (Ninkasi – EUA)
Sazonal Beer

Jimi Hendrix

Purple Haze (Abita Brewery – EUA)
Fruit/Vegetable Beer

Deep Purple

Smoke on the water (Heavy Seas – EUA)
Smoked Porter

AC/DC

Back in Black (21st Amendment – EUA)
Black India Pale Ale

 

Ficou faltando alguma? Qual banda você acha que tem que investir no mundo das cervejas?
Visto aqui
 
Anúncios

O verão vem e o Colete Jeans também!

O jeans sempre está em evidência, e agora no verão o holofote (de preferência o sol) continua nele, agora com o colete jeans, que apesar de não ser uma peça muito comum nas ruas, ela sempre dá o ar da graça na estação quente do ano (ou que deveria ser… clima bunda).

O colete jeans é aquela peça chave (sem frescuras para combinação) vai bem com o que tiver no guarda roupa, camiseta, camisa, calça, bermuda (só não vale aquela bermuda de surf, ou peças esportivas pra não avacalhar a produção).

Na hora de combina co lete jeans com jeans não precisa encanar com a cor, apesar de eu achar que um tom mais claro embaixo fique bacana, não tem essa, vale tudo, até colete jeans azul com calça jeans preta, o bom senso e o estilo fazem qualquer look ficar bom.

Não sabe onde comprar? Muitos lugares! Para quem não se importa com o preço, pode procurar na Colcci, na Opera Rock, na Levi’s (sempre tem modelos diferentes nessas lojas). Para quem não quer gastar muito, pode procurar no fast fashion da vida que sempre tem muita coisa bacana e que você pode customizar (já que o preço é mais bacana) Renner, C&A, Riachuelo e afins…

Se você não quer gastar, mas tem aquela jaqueta encostada no guarda roupas que nunca usa… Bora colocar uma utilidade nela, corta as mangas e já ta com seu colete, é sempre bom dar um novo uso e reciclar as peças (ecologicamente correto até na hora de vestir).

Customizar é a melhor maneira de transformar o velho no novo, além de ser divertido (eu me divirto).

Música: Twoo Door Cinema Club

Conheci a banda faz um ano (fui obrigado a ouvir dias seguidos, mas no fim acabei curtindo bastante e por isso estou indicando aqui!), mas ela já existe desde 2007 e é composta por Sam Halliday (guitarra e vocal), Alex Trimble (vocal, guitarra, sintetizador e batidas) e Kevin Baird(baixo e vocal),  que também conta com Benjamin Thompson como baterista das turnês (só participa de shows maiores). O nome da banda surgiu após um dos membros ter pronunciado incorretamente o nome do cinema local, o Tudor Cinema (os famosos trocadilhos).

O Two Door Cinema Club é um grupo desavergonhadamente indie: no estilo de tocar, de se vestir e de se comportar (quer particularmente eu gosto bastante), no auge dos vinte e poucos anos dos seus integrantes. E é exatamente esse frescor e essa autenticidade que fazem o carisma da banda – misturando em seu caldeirão um pouco de tudo do que tem feito sucesso no indie mundial (bases eletrônicas, bateria reta e acelerada, guitarras com capotrastes e riffs dedilhados em vibrato) sem vergonha de parecer cópia ou influência (quem não copia? A Beyoncé é a prova viva das “cópias/influências”). Não é muito difícil reconhecer nos caras a influência de Phoenix, Bloc Party, Franz Ferdinand, entre muitas outras. Os caras começaram a divulgar seu trabalho em 2007 no myspace, mas o primeiro hit da banda “Something Good Can Work” fez sucesso só em 2009, e em 2010 a banda lançou o primeiro cd “Tourist History” que ganhou o Choice Music Prize de Álbum Irlandês do Ano.

Os caras fazem um indie rock eletrônico divertido e competente, parecem ter um futuro  promissor, eu gosto muito, e estou esperando o próximo show deles no Brasil. Da um conferida na música deles:

Something Good Can Work

What you know

Undercover Martyn

I Can Talk

N.G.C.H – Tribos Urbanas de Berlim

Não conhecia a marca Naguchi, e resolvi conferir a nova coleção deles e acabei encontrando essas camisetas incríveis, com uma pegada bem rock com inspiração nos anos 70 e 80, décadas essas que foram marcadas pelo inicio da rebeldia jovem (daí em diante foi só piorando, ou melhorando? rs), as camisetas traduzem essa época de uma forma mais contemporânea nas estampas com grandes ícores do rock.  E não parou por aí não, parte da coleção teve inspiração nas tribos urbanas de Berlim, que nada mais é do que a personificação da liberdade da cidade (além da estampa ser super bacana ela ainda vem cheia de cultura e história, quer coisa melhor, moda e cultura?).

E ficou a dúvida da mistura entre as tribos de Berlim e o rock, calma que tem uma justificativa, afinal ambas buscam chamar a atenção para os problemas da sociedade, tudo com a dispretenção e rebeldia com CAUSA de um Rockstar.

Da uma conferida no resultado:

%d blogueiros gostam disto: