Apostas…

Sempre existem dois lados de um tabuleiro, podemos colocar de um lado o amor e do outro os amigos, mas qual lado tomar partido? Em quem apostar?

As escolhas, ao longo da vida, podem ser comparadas a um jogo de dados, pois os lançamos a cada escolha, e acreditando na sorte, assim como na vida. Quando as oportunidades aparecem, fechamos os olhos e caímos nas apostas sem medos ou preconceitos, a fim de saber onde vamos chegar, e isso é totalmente sadio. A sensação de aposta faz que se libere adrenalina em nossa corrente sanguínea e cada vez apostamos mais alto a fim de se aproveitar a vida e sentir essa sensação mais intensamente.

Nas jogatinas da vida, podemos perder um amigo no mesmo momento em que ele acredita na possibilidade de amar. Deixará de apostar de um lado da mesa junto aos amigos e começará a apostar apenas do outro, da sua companheira. Só tem um problema, quando o dinheiro acaba (amor) o apostador voltará a fazer parte do lado em que estava acostumado. Caberá aos amigos a grande decisão: Ele terá uma banqueta ainda para se sentar?

Quando sua aposta quebra, tudo o que você dedicou foi ao limbo, aparece àquela sensação de arrependimento, o que é normal do ser humano. Saiba que mesmo perdendo, muito se aprende novas artimanhas e malicia para as próximas apostas.

E sempre há a possibilidade para voltar a posição inicial de jogada e compartilhar o jogo novamente com os amigos, pois não será um nem duas que deixará seu lugar vago ao lado deles para apostas mais altas como um ‘amor’.

Não importa por quanto tempo deixe seu espaço vago ao lado de seus amigos, pois meses irão passar e os verdadeiros amigos irão permanecer. As visitas semanais voltarão as ser freqüentes. As apostas logo voltarão a ser feitas. O vício que gira em torno do mundo dos jogos é o mesmo vício que rege o amor. Muitas apostas, muitos romances, muitas pessoas, muitas noites de diversão.

O mais importante não é saber apostar, mas sim saber até onde você pode apostar, até onde você pode chegar, até onde vale a pena aquela aposta, até onde trocar os amigos que estávamos acostumados a jogar e passar para o outro lado da mesa.

Acho que toda essa volta é só uma forma de dizer que amigos serão sempre amigos e amores serão apenas amores, saiba ponderar, e não jogue o mundo pro alto por aventuras curtas.

Anúncios

Sobre Gustavo Oliveira

22 anos, Publicitário, Mau-humorado, seco, sarcástico, cáustico, até brincalhão e simpático as vezes. Nem sempre.

Publicado em agosto 24, 2010, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: