Três é demais….

Um relacionamento que começa envolvendo três pessoas. As duas são casadas e outra mulher aparece na história, exatamente um triangulo amoroso. Isso foi o que eu e mais trinta pessoas que estavam no ônibus ontem, regressando para casa, conseguimos entender. A história na verdade começa com uma mulher que entrou no ônibus com o seu celular tocando e atende de um jeito bem estranho. Essa mulher dizia, aos berros, toda a humilhação que havia passado, apenas por ter decidido se juntar com um homem casado, é isso mesmo, ela realmente estava aos berros contando todo o caso. A mulher dizia, entre as palavras, que já estava em outra, mas percebíamos em seus olhos que suas palavras acabavam sendo mais verdadeiras do que seus olhos. Ela balbuciava aquilo que acreditava que era verdade, mas como já foi dito: olhos não mentem, eles sempre entregam o que você realmente está sentindo.

Ao mesmo tempo em que essa mulher gritava ao celular com a pessoa que a fez sofrer, estava eu sentado em uma das poltronas lendo um livro. Não lia qualquer livro, lia um texto que falava sobre relacionamento. Para ser mais sincero. Eram vários relatos femininos, nos quais as mulheres contavam como foram as suas experiências no caminho do amor e alguns conselhos dados pela autora. Este livro é um sucesso desde o dia em que ele foi publicado e sua repercussão foi tão grande que acabou transformado em filme. Sua história surgiu em um almoço várias produtoras discutiam sobre relacionamento. Ahh livro esse que tem me ajudado a fazer parte dos posts do blog.

Às vezes penso como o universo feminino pode se deixar levar por um estranho que entra em sua vida. As mulheres são tão fortes para chegarem acima de um homem profissionalmente, mas quando se trata de relacionamento elas não conseguem viver a sua vida com uma pessoa decente e que realmente esteja queira compartilhar o mesmo que ela.

Todas as mulheres deveriam ter esse livro em suas cabeceiras e o filme em sua estante. Aprender tudo que puder ser ensinado para que, em um futuro não tão distante, ela não se quebre assim como um cristal.

O melhor amor que existe no mundo é aquele amor próprio. Aquele amor que você sente por si mesmo. Aquele amor que nos faz bem. Aquele amor que nos deixa feliz a cada dia. Aquele amor que te dá trepidações no coração.

Na verdade, isso que eu disse é na realidade amor, pois tudo aquilo que nos deixa mal ou nos magoa não pode ser chamado de amor.

Devemos começar a prestar atenção primeiramente e nós mesmo, nos aceitar, e ser feliz com o que somos, esse é o primeiro passo para se gostar de alguém, gostar primeiramente de você mesmo, respeitar seus limites e saber até onde você é capaz de chegar. Depois que você estiver bem consigo mesmo você é capaz de ficar bem com qualquer pessoa.

Muitos falam de dividir felicidade com alguém, mas eu não acredito nessa história, muito menos que a felicidade deve ser dividida, acredito sim que a felicidade deve ser somada, a sua felicidade mais a de alguém igualmente feliz, isso é capaz de manter qualquer relacionamento saudável e se essa soma não for possível, parta pra outra, a vida está cheia de possibilidades boas, é só você se permitir viver.

‘Os opostos se distraem enquanto os dispostos se atraem’

Segue aqui as referências que usei para escrever esse texto, futuramente pretendo dedicar um post especialmente para ambos.

Dica de leitura: Ele Simplesmente Não Está A Fim de Você – Greg Behrendt

Dica de filme: Ele Não Está Tão Afim de Você

Anúncios

Sobre Gustavo Oliveira

22 anos, Publicitário, Mau-humorado, seco, sarcástico, cáustico, até brincalhão e simpático as vezes. Nem sempre.

Publicado em julho 1, 2010, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. qual o filme e o livro, né? hahahaha
    muito bom o teeexto 😉

  2. Adorei o texto… muita gente fica irritado no ônibus, mal sabem o que essas idas e vindas no transporte público pode ensinar…
    E para variar, nós sempre em sintonia, falo um pouquinho disso no meu post de hoje, que vou fazer assim que terminar um job aqui, mas eu já vim caraminholando tudo no trenzão hoje… kkk
    Ahh… esse filme já saiu? Eu quero assistir… como te falei ontem, quando tem filme prefiro assistir do que ler, assim leio o que não tem filme… rsrs
    Sei lá se é uma boa filosofia, mas dentro da minha falta de tempo acaba funcionando.
    Beijokas

    • Verdade, mal sabem que as melhores histórias e conselhos vem de pessoas que não conhecemos em lugares improvaveis, assim como um onibus.
      E a sintonia sempre vem de pessoas que buscam coisas parecidas com os mesmo principios ^^ … isso me deixa muito feliz!
      O filme saiu sim, e é muito bom por acaso, e essa filosofia estou aderindo a minha rotina que a cada dia fica mais complexa.
      E se prepara que muitos outros textos seus serão roubados para serem respostas aqui ^^

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: